A Gestão de projetos tradicional ainda tem espaço com o avanço das Metodologias ágeis?

"Vamos agilizar nossos processos e acabar com toda a burocracia! É o fim do cronograma...estamos na era do Kanban!"

Você já deve ter ouvido alguma frase semelhante a esta! Com a massiva adoção das metodologia ágeis pelas empresas o que é novo parece ser melhor do que o antigo. Novas técnicas, nova ferramentas e novos métodos de organizar os projetos surgiram nos últimos anos principalmente no segmento da tecnologia da informação e estão sendo adotados em vários outros segmentos.

Mas será que podemos generalizar e decretar o fim do cronograma? Podemos controlar a construção de um edifício, a instalação de uma usina ou o lançamento de um novo modelo de um veículo utilizando somente as metodologia ágeis?

O problema que trago aqui não está na metodologia A ou B, mas está na polarização que o obriga a escolher entre A ou B.

Sempre que apresentarem para você um problema de "modo polarizado", àquele no qual você precisa fazer uma escolha entre o "certo e errado", entre o "A ou B" ou entre o "novo e velho", você acaba sendo obrigado a escolher uma das opções.

Um exemplo que ilustra bem um cenário polarizado ocorre com frequência nas provas de culinária de reality show nas quais os candidatos buscam demonstrar todas as suas habilidades para os jurados com pratos que trazem dois preparos.

Do ponto de vista dos candidatos que esperam demonstrar num único prato todas as suas habilidades, mostrar dois preparos parece ser uma boa ideia. Entretanto do ponto de vista dos jurados lhes é apresentado um problema polarizado que os obrigam a escolher qual dos preparos é o melhor e, as vezes, nem a essência que do foi pedido é alcançada!

Portanto, não caia na armadilha de discutir se "a gestão de projetos tradicional ainda tem espaço" ou se "as metodologia ágeis são melhores". É um viés equivocado que talvez você possa ter absorvido sem querer. A polarização tira o foco do que é mais importante, tira o foco da essência.

A Gestão de projetos tradicional sempre terá o seu espaço em inúmeros segmentos de mercado. Ela pode conviver muito bem com os métodos ágeis para trazer "agilidade" em vários processos de gestão. Mas não são todos os segmentos de mercado que podem trabalhar com um MVP (Mínimo Produto Viável), com mudança frequente de escopo ou na base da tentativa-erro. Em alguns projeto o custo envolvido pode ser altíssimo e o prazo ser tornar inviável.

Se você é um Gerente de Projetos experiente sugiro que estude muito todas as metodologias ágeis. Tem muitas técnicas e ferramentas que podem ser adaptadas em diversos cenários de projetos tradicionais. Caso seja um Gerente de Projetos que nasceu no mundo ágil, sugiro que estude com afinco o que já foi desenvolvido no passado utilizando as metodologias tradicionais.

E se você não tomar este cuidado vai acreditar que é possível mudar as especificações técnicas da turbina do novo projeto de um avião 10 dias antes do seu lançamento comercial, porque esqueceu de "dar done" num "post-it amarelo" do seu kanban! Não caia nesta!

Wesley Teles - Diretor de Inovação

Da gestão de projetos industriais ao portfólio de programas de tecnologia da informação. Das grandes corporações ao ecossistema das startups. Do projeto de usinas e fábricas à manufatura de calçados e automóveis. Inovação sempre foi uma constante na fórmula que define minha carreira!

Compartilho aqui essa fascinante jornada no mundo da Transformação Digital, Cloud Computing, Data Science, Design Thinking, Business Intelligence, Analytics, Indústria 4.0 e Inovação. Eventos, palestras, webinars, livros e outros recursos interessantes para se manter atualizado com as novas tendências.